Wet’n’Wild Toronto

Quando a gente fala que Toronto tem de tudo um pouco, não é exagero! E aqui também tem Wet’n’Wild!

Tivemos o privilégio de conhecer o Wet’n’Wild Toronto no primeiro dia mais quente do Verão de 2018, onde a sensação termica chegou aos 40 graus durante o dia. Em São Paulo moravamos muito próximos ao Wet’n’Wild, éramos socios de carteirinha (literalmente!), adoravamos a estrutura do parque. Aqui não dava pra ser diferente né!

WetnWildToronto

O parque fica na cidade de Brampton, há meia hora de carro de Toronto. Também há opções de como chegar lá de transporte publico. Em frente ao parque há um estacionamento bem amplo, custa $15 para para o carro durante todo o dia. Você pode sair do parque e ir ao carro se precisar.

Na entrada do parque há vestiarios e guarda-volumes, onde voce pode deixar seus pertences (Não usamos, prefirmos ficar com poucas coisas a mão, deixar o restante no carro, e ficar mais livre para curtir o dia). Há banheiros nesta área e em vários outros pontos espalhados pelo parque.

Para comer há varias opções dentro do parque Pizza-Pizza, Subway, hot-dog, lanches, sorvetes e outras coisas. Os preços são bem acessíveis. Não é permitido entrar com comida para o parque, mas você pode levar seu lanche ir até o carro. Ao lado da entrada do parque há algumas mesas de picnic.

E, vamos falar sobre a diversão né… afinal, viemos aqui para isso!
Amamos a estrutura do parque, as atrações, toboaguas, piscinas e tudo mais. O parque é bem grande, as atrações ficam bem dividias, é só ir caminhando que você encontra tudo com facilidade. Tem atração para toda idade e gosto.
Nós gostamos muito de água e de aventura.. nem precisa falar né!

A maioria dos toboaguas é para crianças com mais de 48″ou 1.20m, então, Lucas aproveitou como nunca. A maioria deles é bem tranquila,  então da para a familia toda curtir. Mas para que gosta de um pouco mais de adrenalina, tem otimas opções também.

Curtimos muito o Muskoka Soakan,  uma piscina onde voce vai sendo levado pelo parque dentro de uma boia. Da pra relaxar e para agitar também, depende da sua vibe!

Swiming Pool

O Big Surf (piscina de ondas) é muito divertida, ela ficava cheia de gente o tempo todo. Para enfrentar as ondas é preciso usar um colete salva-vidas, que voce encontra disponivel ali mesmo na piscina.

Isso foi uma coisa legal que notamos, tanto as boias quanto os coletes não precisavam ser alugados, você usava o tempo que quisesse e depois passava para outra pessoa, sem custo extra como já vimos em outros parques.

Existem duas áreas para crianças, uma com alguns brinquedos e mais água, uma parte bem tranquila para crianças brincarem.
E há o Bear Footin’Bay, que é de longe é a parte mais movimentada e agitada do parque, onde há toboaguas, água sendo espirrando para todo lado, o balde que transborda de quando em quando. Uma verdadeira festa para crianças (pequenas e grandes).

Super recomendamos o WetnWild Toronto, é um lugar ótimo, com ótima estrutura para passar um dia com muita diversão com a familia toda. Aproveite os passes anuais, se você mora aqui em Toronto, o custo beneficio é muito bom!

Quer ver mais imagens sobre o parque e um pouco de como foi o nosso dia por lá, assista o vídeo no nosso Canal no Youtube: Wet’n’Wild Toronto/ Um dia de Diversão!

Saída

Um beijo e até a Proxima!

Cachoeiras de Hamilton, ON

Hamilton é a cidade conhecida como “A Capital das Cachoeiras” aqui do Canadá, com mais de 120 cachoeiras. Muitas delas são de facil acesso ao publico, em areas de conservação ou bem perto a estrada onde voce pode ir a pé sem muito esforço. As trilhas que visitamos são tomas bem demarcadas, tem escadas, corrimãos, mirantes, etc.

Fomos num passeio de um dia só, ida e volta a partir de Toronto. São 69km, uma hora mais ou menos. Nosso objetivo era conhecer as duas cachoeiras mais famosas a Tew’s e a Webster Falls.

Fomos na primavera e é quando as cachoeiras ficam com mais agua devido as chuvas, e também é considerado a season de visita as cachoeiras. Por isso, os estacionamentos que sao ha 200 metros das cachoeiras ficam fechados. Voce tem que ir até o Christie Lake Conservation Aerea, que é um parque e camping, lá voce estaciona o carro e tem acesso as duas cachoeiras. Pagamos CAD $25 para entrar, $10 para o carro e $5 por pessoa.

Christie Lake Conservation Area

Neste valor está incluso o translado até as cachoeiras. Um onibus escolar amarelo muito charmoso nos pegou no estacionamento e nos levou até a entrada da Tew’s Falls, mais ou menos 5 minutos.

Perto do estacionamento, onde o onibus para, tem uma trilha bem curta, uns 200 metros. Lá há mirantes com uma vista linda da Tew’s Falls.

Tew's Falls

Se voce continuar por uma trilha a partir da li, terá acesso ao Dundas Peak, uma trilha de 800 metros, bem estruturada e de facil acesso. Ela tem algumas partes de subida e descida, porém vimos pessoas de todas as idades por lá.

A vista de lá é belissima e é impressionate a formaçao das rochas na ponta do pico. Tem que tomar muito cuidado, não ha proteçao nenhuma e vimos muitas pessoas se arriscando na beirada para tirar aquela foto incrivel, mas nao precisa tanto né? Respeitar seus limites e o limite da natureza é o segredo do sucesso das aventuras.

Voltamos pela trilha até ao ponto de onibus, esperamos o proximo onibus que vem a cada 15 minutos e fomos para a Webster Falls. Andamos alguns minutos para chegar ao parque e lá há um espaço lindo para picnics e lazer.

O acesso a cachoeira também é facil, e voce ve ela de lado, as arvores estavam muito altas e nao tivemos uma visão muito completa. Descer ao pé da cachoeira não é possivel, o acesso é fechado para preservaçao.

Webster Falls

Fizemos estes dois lugares em mais ou menos 4 horas, então, resolvemos procurar mais cachoeiras ali na mesma regiao que estavamos. Foi entao que passamos numa rua em uma area residencial e vimos uma cachoeira. Paramos o carro e fomos até lá.

A Sherman Falls é muito bonita, havia muita gente la apreciando a beleza da cachoeira. Há um pequeno mirante e nada mais.

Shermam Falls

Nosso proximo destino foi a Tiffany’s Conservation Area, onde fica a Tiffany’s Fall. Lá tem um estacionamento bem pequeno na frente e voce paga CAD $5 para estacionar o dia todo. A trilha ate a cachoeira é bem curta e facil, há um pequeno mirante na frente da cachoeira e ela é muito bonita. A estrutura do paredão de pedras é meio solta, muito interessante.

Dicas Uteis:

Nestes parques que visitamos não havia lanchonetes ou restaurantes. Levar o lanche e agua é uma boa pedida. Voce consegue fazer os 2 passeios em 2 a 3 horas, porém é bom prevenir.

Havia banheiros quimicos na entrada das trilhas, mas nada muito estruturado.

Dá para ir com crianças e idosos as trilhas são bem demarcadas e de facil acesso (exceto a Sherman Falls), reforço no repelente e protetor solar. Enjoy!

 

Este foi nosso dia em Hamilton, veja mais imagens e detalhes no video abaixo, no nosso Canal no Youtube.

Abraço e até a proxima!

Roteiro de 3 Dias por Montreal

Estivemos em Montreal no feriado da Pascoa de 2018, mas podemos considerar um roteiro que 2 dias. Já que fomos de carro, partindo de Toronto, e a viagem dura 5 horas, logo, um dia só viajando.

Decidimos por um Airbnb como hospedagem, nos deixaria mais a vontade, nos da opção de economizar com refeição e também sai mais barato. Ficamos num apartamento super lindinho em um bairro residencial que fica há uns 20 minutos de carro da Old Montreal (que é o lugar mais visitado na cidade). Ir de carro também facilita muito na hora de se locomover pela cidade, dando assim, para conhecer mais lugares em menos tempo. Sem mais enrolação, vamos lá para o roteiro.

Dia 01

No primeiro dia chegamos a Montreal por volta das 13 hs, não saimos tão cedo de casa, e viajamos tranquilos. De Toronto até Montreal, basicamente vai pela Rodovia 401, a 100 km por hora, sem curvas, subidas ou descidas. Também não há pedagios. E nesta rodovia tem posto de gasolina e fast foods pelo caminho (ONroute).

Após nos instalarmos, fomos até a Old Montreal, estavamos doidos para ver como tudo era por lá. a Provincia do Quebec é a unica do Canadá que mantém as tradições e linguas da colonização francesa. E andar pelas ruas da Old Montreal te dá a sensação de estar mesmo na Europa. Chegando lá já fomos procurando um lugar para almoçar, e nada melhor que um Crepe Suzzete para entrar no clima da cidade.

Andamos pelas ruas da Old Montreal e apreciamos as construções, lojas de suvenirs, restaurantes e galerias que há por lá. Há também shows de rua, que sempre são uma atração muito divertida.

No final de março, mesmo sendo primavera ainda está um pouco frio, mas no verão há diversos restaurantes com patios para a rua que deve ser uma delicia de ficar por ali.

No fim do dia, fomos até a parte nova do centro de Montreal, andamos de carro vendo os predios novos a procura do Reso, que é a cidade subterranea de Montreal. Com mais de 32 km de ruas e galerias embaixo da cidade é considerado o maior complexo urbano subterraneo do mundo. Passeamos pelas ruas, visitamos lojas a procura da Fonte xx  e foi super facil de achar com as placas e indicaçoes do local.

Dia 2

No segundo dia sim, seria o dia D, dia de ir na maioria dos lugares que tinhamos planejados para a viagem, então vamos lá!

Saimos de casa cedo, passamos pelo Olympic Park, que foi construído para as Olimpiadas de 1976. Mas ainda hoje é um centro esportivo e cultural muito importante em Montreal. Nele tem muitas atrações, e voce pode subir a torre, onde fica um observatorio (mirante da cidade) por um bondinho. Parece ser bem legal, mas como era meio caro CAD$23 por pessoa, ficou fora da nossa lista!

De lá, a pé mesmo, fomos até o Jardim Botanico, que fica atras do Parque Olimpico. Como estavamos no final de março, já é primavera, mas ainda estava frio, havia neve por todos os lados. O jardim fica exuberante no verao, com as esculturas de flores, mas o que vimos foi mesmo uma paisagem lindissima coberta de neve e toda congelada. Mesmo assim, valeu o passeio.

Terceiro lugar do dia foi o L’Oratoire Saint Joseph, que fica mais afastado da cidade, mesmo assim eu queria muito conhecer. Valeu super a pena, o lugar é lindo e voce consegue acessar a catedral que fica na cupula da construçao subindo uns 5 lances de escada. A vista lá de cima… Sensacional!

De lá, parada para o almoço! Fomos até a Old Montreal, por que no dia anterior tinhamos já escolhido onde queriamos comer e .. beber! Experimentamos as cervejas do 3 Brasseurs, também o Poutini e o S’more. Lugar super agradável, bom atendimento e preço bem justo! (Recomendamos 🙂

Já estava no fim da tarde quando saimos da cervejaria, caminhamos pela Old Montreal até o Old Port, que fica na rua debaixo. As inumeras lojinhas ainda estavam fechadas (temporada de inverno). Aproveitamos o fim de tarde para fazer o passeio na La Grand Roue de Montreal, a roda gigante, bem na beira do lago, com uma vista linda da Old Montreal. O passeio custou CAD$22 por pessoa, e durou uns 20 minutos, dá pra ver tudo com bastante detalhe.

Anoitecendo, caminhamos pela orla, apreciamos o lago, as luzes e as apresentações de luzes nos predios historicos. Tomamos um chocolate quente na beira da fogueira para esquentar o frio. Subimos novamente até a Old Montreal e vimos como tudo é também encantador a noite.

Dia 3

Dia de partir, mas tentamos aproveitar a manha para andar de carro pela cidade, passar pelos bairros e ruas. Nossa impressão, uma cidade grande e movimentada, mas com um ar de interior. Tudo muito tranquilo nos bairros residenciais, a agitação mesmo fica por conta das partes mais turisticas e do centro de Montreal.

20180401_120054

Tentamos visitar a Cathedral de Notre Dame  2 vezes. Numa era muito cedo, e na outra muito tarde. A Cathedral fica aberta a visitaçao das 1 as 4 PM. Então, tem que se programar bem para ir lá, caso seja essencial no seu roteiro. Nós, nos contentamos com uma foto da faxada mesmo.

 

Saimos de Montreal após o almoço e fizemos uma viagem tranquila de volta.

Dicas Uteis

O Quebec é a unica provincia no Canada que mantem as culturas da colonização francesa, o idioma local é o Frances. Porem, nao tivemos problemas com isso, em todo estabelecimento e ponto turistico as pessoas se comunicam em ingles sem problema nenhum.

Alguns pontos turisticos de Montreal são muito espalhados, mas vale a pena visitar. Neste caso, ir de carro, ou alguar um é uma boa pedida. Para estacionar, sempre paravamos na rua e pagavamos no parkimetro, quando necessario. Duas horas ficava em torno de CAD$5.20180401_115405

Nossos 3 (2) dias de viagem foram otimos, mas para conhecer mesmo a cidade, sem faltar nada, uns 5 dias seria o recomendado. Vale lembrar que vale a pena esticar a viagem até Old Quebec, uma cidade a 1 hora e meia de Montreal, com estilo Frances que vale super a pena conhecer. Nao pudemos desta vez, mas com certeza vamos voltar.

Mais imagens, mais detalhes assista a playlist desta viagem no nosso Canal no Youtube:

Um abraço, até a proxima!

 




	

Glen Stewart Ravine Trail

Aproveitando as tardes ensolaradas desta primavera fomos fazer uma trilha perto do The Beaches (um dos bairros mais charmosinhos de Toronto). O Glen Stewart Ravive é uma trilha que liga a Kingston Rd com  a Queen Av.; um dos muitos trails lindíssomos que interligam Toronto.

É muito simples chegar até lá, você pode ir de TTC (Transporte Publico) até The Beaches ele fica dois quarteirões acima da praia, você consegue andar tranquilamente até lá. E de carro, da para estacionar em uma das ruazinha ao redor, foi o que fizemos, bem tranquilo e não paga nada.

O Glen Stewart Park se inicia com um gramado bem grande com varias casas lindas ao redor. Você tem que seguir pela rua por um trecho até finalmente chegar ao Trail.

O Trail é completamente pavimentado, cheio de escadarias lindíssimas que trazem uma paisagem muito impressionante. Beirando um riachinho em meio a natureza. Não é longo, uns 800 metros e pode ser feito tranquilamente por pessoas de todas as idades e pets.

Um mergulho a natureza bem no meio da cidade. Vale a pena conferir e depois disso, ainda da para passear pela praia que é maravilhosa nesta epoca do ano nesta época do ano.

Quer ver mais? Assista nosso video no Youtube, aproveita e se inscreve no canal 😉

Começar pelo começo

Como começar um blog?

Bom na verdade, esta é a segunda tentativa de iniciar um blog para relatar historias e experiencias vivida por minha família durante nossas viagens. No inicio eram viagens pelo Brasil, conhecendo estados, cidades, campings, cachoeiras, praias e mais. Tudo isso em companhia da nossa Kombi, Carmen Lucia.

Carmen Lucia

Eu desanimei de escrever e colocar fotos num blog, por que minha paixão mesmo são imagens e movimentos. Desde sempre, fiz videos caseiros, slides de fotos para reviver emoções de nossas viagens, para mostrar para amigos e família (que acabaram ficando de saco cheio disso.. rsrsr). Comecei fazendo curtos videos de lugares que conhecíamos no Youtube, fiz uma pagina para amigos no Facebook e ai Instagram e assim “VAMO KOMBINÁ” foi sendo criado. O nome, lógico por causa de nossa Kombi, mas também por que sempre convidávamos amigos para sair e viajar e sempre respondiam.. Vamo kombina!.. aí né! pegou o nome!

Com a mudança de vida para o Canada, senti que podia fazer muito mais, poderia ajudar pessoas. Assim como muitos dos videos que assisti no Youtube em busca de informações, pesquisas e saber mais sobre a vida aqui no Canadá, me ajudaram  e incentivaram, me fizeram perceber que é possível e viável esta mudança de vida.

E este é o maior proposito do canal hoje, ajudar e incentivar pessoas a terem uma vida melhor, a lutarem pelos seus sonhos (não só vir para o Canadá) e a acreditarem nelas mesmas. Mesmo porque, nós somos pessoas comuns e através de sonhos e força de vontade, conseguimos realizar um de nossos muitos sonhos que é Viver no Exterior!

Senti a necessidade, de além dos videos, voltar a escrever, para colocar detalhes, dar dicas e colocar meu ponto de vista sobre o que estou aprendendo e descobrindo nesta jornada.

Vamo Kombiná

Fica o nosso convite: Vem conhecer o Canadá com a gente!

Faça parte da nossa estoria, se inspire, empodere-se e realize!