Por que morar no Canadá?

Por que largar tudo no Brasil e ir morar no Canadá?

Muita gente nos pergunta isso, e nos mesmos nos perguntamos as vezes. Vou tentar compartilhar aqui as motivações que nos levaram a vir viver aqui neste país, que muitos julgam longe e frio demais, acho que eu mesma já devo ter pensado isso no decorrer da vida.

Sempre quisemos viver fora do Brasil por um periodo para experimentar. Sabe como é? Conhecer um novo país, fazer parte dele por um tempo, absorver a cultura, fazer parte… E não apenas turistar. Nós somos turistas de carteira assinada, mas não queriamos viajar só de férias, queriamos uma experiencia mais ampla.

Vamo Kombiná
Uma paixão por viagens, viver e descobrir.

Mas isso não tinha data. Sabe como é, né? Um dia, quando der, quando tiver dinheiro, nao é a hora. Enfim, esse sonho morava dentro da gente, mas não era uma meta, não tinha dia e hora para acontecer.

Depois de terminarmos faculdade (já velhos e com filho, rsrs). Alcançamos o tão sonhado “Patamar” com um bom emprego, fazendo o que achavamos que gostávamos.
Tinhamos casa, carro, viajavamos com frequenciaTinhamos muitos amigos e muitos compromissos.  Enfim, chegamos lá! Conquistamos o que todos querem na vida.

Depois de um tempo, começamos a percebemos que manter essa vida custava. Mas não custava só dinheiro, custava tempo dedicado ao trabalho, custava horas extras, preocupações e estress. Custava saúde. Custava o tempo que não tinhamos para curtir a nossa família, nosso filho e nós mesmos.

Em 2015, compramos nossa Kombi, Carmen Lucia, ela foi um ponto de mudança em nossas vidas. Começamos a viajar e acampar a cada final de semana e feriado que conseguíamos. De repente, o que mais nos trazia alegria era viajar de kombi, a liberdade da estrada, assistir ao por do sol, sentar na areia da praia, fazer uma trilha e chegar numa cachoeira. Começamos sentir a alegria das coisas simples e perceber não precisamos de muito para ser felizes.

Aos poucos fomos libertando de varias ideologias, de coisas que achavamos necessárias para “ser feliz”. Mas não eram, na verdade, traziam angustia e incertezas.

Começamos a olhar para nossa casa e ver o quão grande era para nós. O quanto custava para mantê-la. O quanto de energia colocávamos para manter as contas pagas, as coisas arrumadas. Vimos que nossas coleções (livros, carrinhos, sapatos, coisas em geral) não tinham o menor sentido. E aquela casa grande, qual o Lucas nasceu e cresceu, qual demos tantas festas  e teve tantos momentos felizes, já recebia pouca gente, já não tinha mais tanta graça. Não cabíamos mais ali. Aquele ciclo havia se encerrado.

Podíamos e precisávamos viver com menos. Precisavamos liberar essa energia para coisas novas e novas experiências. Assim colocamos a casa a venda, exatamente um ano antes da ideia do Canadá vir a tona.  Fomos estudando inglês, por que isso seria importante e válido para qualquer que fosse a situação.

Nem sabemos ao certo como a ideia de vir morar no Canadá surgiu. Se foi vendo algum vídeo na internet ou conversando com alguém. Quando demos conta, estavamos lá pesquisando os processos de estudo para vários países e com a ideia do Canadá muito aflorada na cabeça. Pesquisamos bastante e levantamos o quanto precisava de dinheiro  e passamos a assistir e ler todo o conteudo que aparecia sobre viver no Canadá.

De repente final 2016 nossa vida foi tomando um rumo inesperado. A empresa que o Claudio trabalhava iria fechar. A empresa que Sandra trabalhava estava sofrendo mudanças nas quais ela não se encaixava mais. A casa foi vendida. E foi aí que percebemos que era agora ou nunca, o Universo estava conspirando a favor. O dinheiro que nunca dava ia se completar, a preocupação de deixar a casa vazia não ia mais existir.

A partir daí foi estudar, e estudar muito. Sandra estudando para o TOEFL, para garantir a nota para a matricula do college. Claudio estudando o processo de aplicação de vistos, fazendo contas e estimando valores. Planejamos e pensamos em cada situação que poderia acontecer. Como iriamos nos preparar para ir, e para voltar, se fosse o caso.

Aplicamos nossos vistos no dia 16/06/2017, estavamos morando em uma apartamento bem menor que nossa antiga casa, neste ponto mais de 70% dos nossos bens materiais haviam sido vendido/ doados / presenteados. Dia 16/08/2017 os vistos foram aprovados, o college teria inicio no dia 05/09, tinhamos 2 semanas para preparar tudo, nos despedir da família e viajar.

Para muitos, pareceu uma atitude preciptada a nossa vinda, mas na verdade, planejamos em silencio por mais de 2 anos. Não tínhamos sequer certeza que um dia isso tudo iria se realizar. Mas, a partir do momento que nos motivamos a colocar o plano em ação, ele deu 100% certo e hoje estamos aqui vivendo 1 de nossos SONHOS.

Viver de uma maneira mais simples, porém mais intensa, mais plena. Para isso precisamos “reiniciar”, “voltar as configurações de fabrica”. Deixar no Brasil toda a comodidade e facilidade para enfrentar uma vida nova, do zero. Mas enxergamos tudo isso com alegria e vemos como oportunidades de aprender e de criar o mundo que queremos viver, e hoje, é isso que fazemos. Esta é nossa motivação de viver no Canadá.

Tenho muito a falar sobre a vida aqui, e sobre as mudanças que enfrentamos desde que tomamos esta decisão. Quero compartillhar tudo isso com vocês, então, até o proximo post : )

Belfountain Conservation Area, Caledon, ON Canada

Aqui vai uma super dica para quem procura um lugar lindo para fazer fotos. Em qualquer época do ano a Belfountain Conservation Area é o lugar!
Nós fomos no outono, e as cores estavam de cair o queixo.

Vista do rio que passa pelo parque

O parque fica na cidade de Caledon, há mais ou menos 1 horas de Toronto, e vale super a pena pegar o carro e ir conferir este lugar. Antes de chegar no parque há uma vilazinha com sorveteria, cafés e lojas de artesanato que vale a pena uma caminhada e um lanchinho tambem (dica extra).

No parque tem estacionamento qual é pago ($10 por veículo) e para visitação é cobrado uma taxa na entrada($5,75 adulto e $2,75 criança).
Ha banheiros e areas de picnic espalhadas pelo parque. Da pra ir com a familia e ficar o dia todo curtindo por la.

Bem na entrada ha um grande gramado com mesas e um riozinho calmo que passa ao lado, muita gente fica por ali descansando.


Caminhando em frente há diversas vistas para o lago, para a natureza, para o céu. Tem lugares para sentar e contemplar. Como já disse, as cores do outono estavam arrebentando na ocasião que fomos, o que fez do passeio muito mais agradável.

Ha mais ou menos 500 metros voce encontra a fonte, que da o nome ao parque. Este parque foi uma propiedade privada, onde o dono quis construir uma Mini Niagara e Yellostone caves, sorte a nossa, que agora temos um ponto turistico super lindo para visitar.

Nos acompanhe tambem no Instagram!

Mas o que mais me chamou atencao, e foi este o motivo da nossa visita, foi a ponte suspensa em cima de uma corredeira de agua. Voce pode atravessar a ponte e continuar as trilhas do outro lado do parque. Aproveitamos e fizemos varias fotos lindas.

Este passeio e muito agradavel, bom para criancas, bom para casais, com certeza lindas fotos e momentos inspiradores irao sair dali.

Veja o video no Youtube e acompanhe a nossa jornada.

Enjoy the life. Sandra.

Procurando opções para seguro viagem. Use nosso codigo e tenha descontos especiais:
https://www.segurospromo.com.br?utm_medium=afiliado&pcrid=3661&utm_source=site-blog&cupom=VAMOKOMBINA5

MorningStar Mills & Decew Falls

Visitamos St. Catharines, cidade há uma hora de Toronto, especialmente para conheçer estes lugares (ou essa cachoeira), que ficam na mesma propriedade. Há mais atrações em St. Catherines, porem quero dedicar este post a esta experiencia tão especial.
 

Vista d0 pé da cachoeira, o moinho fica bem acima.

O Morningstar Mills fica na 2714 Decew Rd, St. Catharines, ON, o acesso de carro e muito fácil e há também alguns passeios turísticos que saem da cidade e te levam ate lá.
A entrada e gratuita e o local e mantido por doações e boa vontade dos voluntários. Há opção de comprar farinha produzida no moinho ou simplesmente deixar doações para ajudar a manter o local, acho que é super justo, já que o trabalho deles é incrível. Além da manutenção e restauração do Moinho e da Casa Principal, há voluntários respondendo a perguntas e disponíveis para tours guiados e gratuitos.

O moinho foi construído em 1867 e propriedade pertenceu a mesma família por quase um século. Nos anos 90 a última descendente da família doou a propriedade para a cidade de St. Catarine, e  o trabalho dos voluntários tornou a propriedade um museu a céu aberto.

Na parte da frente você pode visitar o moinho, que foi construído à beira do abismo em cima da cachoeira, dá ver a queda d’água pela janela. Há acesso a parte de dentro do moinho, onde você vê toda a estrutura do moinho e como ele funciona, todo o equipamento é original. Um dos voluntários está sempre lá para falar sobre a estória e funcionamento do moinho.

Na parte de traz da propriedade fica a casa da família, uma linda construção que mantem muita história dentro. Todos os móveis e utensílios são originais da família, assim como retratos, obras de arte e instrumentos musicais.

Um dos voluntários oferece um tour guiado pela casa, ou você pode fazê-lo por sua conta e depois tirar suas dúvidas. Recomendo o tour guiado, pois há muitas curiosidades pela casa, que passariam desapercebidas, por exemplo, a coleta de agua da chuva para molhar as plantas, o esquema que eles utilizavam para trocar o fogão a lenha dentro e fora da casa no inverno e no verão, os bordados e costuras que foram feitos pelos moradores da casa. Além da estória da família, que e muito interessante de conhecer.

Na propriedade também há uma ferraria (Blacksmith), que ainda funciona, e além das demonstrações para o público, belíssimas peças são produzidas lá.

Passando da parte histórica para a parte aventura em 3, 2, 1 …

No fundo da propriedade há uma trilha, que faz parte do Bruce Trail (confira aqui), e por esta trilha há acesso a cachoeira Decew Falls. Já irei dizendo logo no começo que não e uma trilha nada fácil, e que os voluntários do moinho não recomendam fazer sem preparo e sem sapatos adequados. Então, não recomendo que façam a trilha, fica aqui como conhecimentos gerais. Mas nós fizemos, realmente achamos arriscadas em algumas partes, porém, valeu total a pena.. E faríamos de novo… sim!

Fotos da parte média da Trilha

Sobre a trilha: é muito íngreme, com partes que são quase escaladas. Muita pedra e raiz, muitos galhos e até troncos para pular ou passar por baixo, lama em alguns lugares, poeira em outros. Então e aconselhável o uso de tenis ou um sapato próprio para trilhas. A mata não e muito fechada, mas e bom usar repelentes.

A trilha da acesso há 3 quedas d’agua Sendo a primeira de 35 feet e para chegar até ela a trilha não é tão complicada.
A água da cascata é muito farta oque faz da cachoeira exuberante. Dá pra ir até  a queda, o lago em frente não e fundo em nenhum ponto.

A partir dai que a trilha fica emocionante, por que praticamente você passa em cima desta primeira cachoeira, numa trilha bem estreita e em baixo é a cachoeira. Há também um parte longa onde você vai beirando a encosta, uma passagem bem ingrime e cheia de galhos. Esta parte não é longa, e logo você avistará a segunda queda, que vem do meio da encosta, ela e muito bonita. Mas a atracão mesmo esta há alguns metros a frente.

A Decew Falls, com seus 65 feet de beleza, uma lago delicioso em frente para tomar banho e ainda a possibilidade de andar atras da queda. Ou seja, tem tudo que um apaixonado por cachoeira pode querer.
A agua incrivelmente não estava gelada como imaginamos, por que aqui as aguas são sempre bem geladas. Ela estava fria, maravilhosa para se banhar.

Posso dizer que a vista da cachoeira e o banho no lago fazem toda a trilha valer a pena.

Caso você resolva encarar a trilha, levamos cerca de 2,5 a 3 horas ida e volta (por que não somos do tipo atlético, temos criança, e paramos toda hora para fazer foto), recomendo: sapato adequado para a trilha, repelente e protetor solar, agua e lanche na mochila, maquina fotográfica, celular para registrar a aventura.

Esta e nossa dica primeira dica sobre St. Catherines, aguardem que vem mais um post por aí.

Atividades baratinhas para sair de casa no Inverno | Inverno em Toronto

The winter is coming!
Sim, isto e verdade. Porém, diferente do que muita gente imagina, não vamos ficar trancados dentro de casa pelos proximos 6 meses não.
 Tem muita coisa pra fazer, conhecer e muita coisa boa para curtir o inverno por aqui.
 Na minha opnião, e necessário sair de casa no inverno, principalmente em termos de saúde mental. Muita gente pode olhar para fora e sentir vontade de ficar em casa, ou so de pensar em colocar aquele monte de roupas, ja bate preguiça (as vezes curtir o inverno é isso também). Como falei agorinha, o inverno aqui e muito longo, começa a esfriar no outono em meados de Outubro e voltamos a ter temperaturas quentes por volta de maio. É extremamente importante manter o corpo e a mente em movimento e ver o lado bom de cada estação, de cada período.

Para mostrar que e possível, e barato curtir o inverno aqui em Toronto. Fiz aqui uma lista das atividades que nós gostamos já fizemos nos dois invernos que passamos aqui. Bora la:

1. FEIRAS E FESTIVAIS

Principalmente os meses de Novembro e Dezembro tem muitas feiras, festivais e eventos acontecendo pela cidade, devido a chegada do frio e do Natal. Confira aqui uma lista dos eventos deste meses nos ano passado (logo ela estará atualizada para 2019).
Janeiro, fevereiro e março tem muita a coisa a fazer pela cidade, fique de olho em blogs como este aqui, site da cidade toronto e páginas de Instagram e Facebook sobre Toronto, sempre vai estar aparecendo eventos e com certeza alguns deles voce vai curtir.
 Aqui deixo o link de alguns que já participamos: Christmas Market na Distillery District, Maple Syrup Festival e RV Fair em Hamilton.

Winter Light Exhibition – Ontario Place

2. PISTAS DE PATINAÇÃO

Pista de patinação são muitas espalhadas pela cidade. A maioria delas é gratuita. Nos pontos turísticos a pista é gratuita e você tem a opção de alugar os patins no local. Nos community centres, as pistas são gratuitas, com horários pre determinados e você tem que ter o seu próprio equipamento.
 Há aulas de patinação nos communities centre, tem que ficar atento a data de inscrição , que é normalmente uns 3 meses antes. Para fazer as aulas tem que tem seu próprio patins e capacete para Hockey.
Veja este post para ter mais dicas e ver quais pistas de patinação indicamos. (Ice Skating| Pistas de Patinacao no Gelo em Toronto)

3. INDOOR POOLS

Dá para acreditar que com temperaturas a menos 20 ainda pegamos uma piscina de vez enquando? Pois é, além de parques aquáticos indoor, como este em Blue Mountain Village e Niagara que são próximos a Toronto. Há diversos communities centres que tem piscina indoor, aquecida e o melhor FREE. Basta conferir qual o Community Centre que deseja ir aqui neste site. Não esqueça de verificar qual o periodo que ele estará aberto para Leisure Time, há dias e horários específicos , confira antes de sair de casa. Não precisa ter carteirinha, não tem exame médico, só ir no horário de funcionamento. Há vestiários, banheiros, estacionamento, enfim, uma ótima estrutura.

Agincourt Recreation Centre – Scarborough

4. PUBLIC LIBRARY

Aqui em casa somos fas de carteirinha (literalmente) da Toronto Public Library. Além de ter muita opção de livros, DVDs, CDs, Ebooks, Audiobooks, Filmes Online… enfim.. Tudo de graça! Bastar fazer a carteirinha em uma das mais de 50 Bibliotecas espalhadas pela cidade para ter acesso a todas elas.
Além disso, sempre há eventos para todas as idades, por exemplo: filmes, contadores de estorias, crafts, club de livros, palestras sobre diversos assuntos, meditação, danças, etc. Consulte o website da TPL e ver quais eventos estarao disponíveis na Library perto de sua casa.
Site da TPL aqui.

Assista ao video no Youtube e veja tudo sobre a TPL

5. MUSEUS

Toronto tem inumeros museus e galerias de arte, para todo gosto. Os mais famosos são: ROM, AGO, Casa Loma, Bata Shoe Museum, Fort York, Ontario Science Centre Museum. Mas estes são apenas exemplos, há muito mais a ser explorado.
Agora vem a dica da economia: para quem tem a carteirinha da Toronto Public Library ha ingressos gratuídos para todos os Museus Históricos de Toronto, e so ir a qualquer Biblioteca com sua carteirinha e solicitar no balcão.
Para museus como ROM, AGO, Ontario Science Centre e o Zoo, são distribuidos 50 entradas em algumas bibliotecas específicas. Confira no Website qual library que distribui o ingresso que você quer. A distribuição acontece aos sábados de manhã e tem que chegar super cedo, por que acaba muito rapido.
Para mais informações clique aqui.

6. PARQUES PUBLICOS

Sim, podemos e na minha opnião e a melhor atividade para o inverno, a mais esperada “brincar na neve”.
Os parques de Toronto permanecem abertos no inverno, você pode fazer suas caminhadas, levar o cachorro pra passear e tudo mais. Só tem que considerar que algumas trilhas não tem manutenção no inverno, ou seja, a neve não e retirada, então as condições do chão podem ser complicadas e/ou perigosas.
Muitos parques sao excelentes para descer de sled (treno) que você pode comprar na Dollarama por $4, na Canadian Tire a partir de $10 e por ai vai, depende do modelo e material do sled. Acaba saindo um bom preço e a diversão é garatinda.
Alguns parques tem pista de patinação, ha até pista de sky em Toronto. Consulte o site aqui, e aproveite!

Um dia inesquecivel na Neve!

Bom, como podem ver, da pra aproveitar muito o inverno por aqui! Basta botar a roupa quente e sair para curtir!

Enjoy the Winter! Thank you for reading!

Mono Cliff Provincial Park

Quer um passeio gostoso com as cores do outono explodindo aos olhos. Visite este parque no mês de Outubro.

O Mono Cliff Provincial Park fica na cidade de Orangeville, mais ou menos 1 hora e 10 de Toronto, Ontario, Canadá. Acesso fácil de carro, porém não há muitas opções de transporte público.

Escolhemos visita-lo, pois estavamos a procura de lugares para apreciar as cores do outono no Canada (Meio de Outubro). Tenho que dizer que a escolha foi bem feita. O parque é lindo e estava no auge da troca das cores. Porém não fomos só nos que acertamos no passeio, o parque estava cheio de gente, acredito que pelo mesmo motivo.

No geral, o parque é para amantes de trilhas, não há outras atrações no parque além 20 km de trilhas, dividos e sinalizado por cores. As trilhas podem ser feitas a pé, de bicicleta ou de cavalo, mas lá não há nada para alugar, tem que ser seu próprio recurso. Nas placas das trilhas está descrito qual tipo de atividade é permitido. O parque é 100% pet friendly.

Há estacionamento pago na entrada do parque. Custou Cad $7.50 por 4 horas, e há opção de Cad $15.00 pelo day use.

Há banheiro apenas na entrada do parque. Não ha áreas com mesas para pic nic e nenhum outro tipo de confort area dentro do parque. Tenha isso e mente, o parque tem foco em caminhadas e passeio.

Tem que ficar bem atento aos mapas e as ligações de uma trilha para a outra. Você pode andar muito e não encontrar as principais atrações que são: O lago, o Mirante e o caminho entre os paredões de pedra. Fique sempre atento as placas, recomendo tirar um foto do mapa que fica no estacionamento, para você ir entendendo por onde está passando.

Deixando o carro no estacionamento seguimos pelas trilhas seguindo o Water Trail até os lagos. Um deles esta bem coberto por vegetação, mas no outro a paisagem e linda.

De lá começamos a subir em direção ao Mirante, ou Cliffs Trail, que tem uma vista sensacional, principalmente nesta época do ano.

Bem ao lado do Mirante esta a escadaria em meio aos paredões de Pedra (Mono Cliffs), é uma trilha sem saída, somente para contemplação dessa beleza natural.

Andamos por várias trilhas em meio a natureza, em meio a muitas Maples Trees que são as que mais se destacam na troca de cores do outono. Era impossível não imaginar uma foto linda em cada canto.

Descemos pelo escadão de madeira, que estava cheio de gente chegando ao parque.

No total andamos 8km pelas trilhas, foi um passeio muito, muito agradavel, muito contato com a natureza. Super recomendo para quem ama cores e fotos do Outono.

Veja a aventura completa no nosso Canal no Youtube. Se inscreva!

Ate a proxima!

Ottawa, a capital o Canadá

A capital do Canadá é sonho de consumo de qualquer turista. Ela é cheia de atrações, história, opções para comer e é muito fotogênica. Desde que viemos para cá, tínhamos vontade de conhece-la e aproveitamos o feriado de Abril de 2019 (Good Friday) e fomos para lá, ficar 3 dias passeando e conhecendo Ottawa.
Ottawa fica há 450 Km de Toronto, dá pra ir facilmente de carro, a estrada é ótima e sem pedágios. Há também a opção de ir de Go Train ou Onibus, que você pode pegar na Union Station, em Toronto.

Parliament of Canada

Hospedagem:
Nos hospedamos no Hotel ByWard Blue Inn, que fica no ByWard Market um bairro super movimentado, que vou falar um mais a frente. O hotel fica há 1 km do Parliament, Cathedral de Notre Dame, Gallery of Arts, ou seja, aonde está concentrados a maior parte das atrações da cidade.
Gostamos muito do hotel, ele é super confortável e acolhedor. O café da manhã é incluso e é muito gostoso, com várias opções no menu. Nossas ultimas experiencias com hotéis no Canada, foram de cafés da manhã bem abaixo do que esperávamos (ou que somos acostumados) encontrar. E há também um chá da tarde, muito bom. O que não é incluso no hotel é o estacionamento, qual tem que ser pago á parte e reservado previamente. Não optamos pelo estacionamento, que custaria $15 a noite, deixamos o carro parado na rua em frente ao hotel, e não tivemos problemas com isso.

O que fazer:
Há muito o que fazer, ver, conhecer e experimentar em Ottawa. Vou relatar aqui o nosso roteiro, que devo dizer que foi um pouco prejudicado pelos 3 dias de chuva que pegamos. Sim! choveu os 3 dias, e isso fez nosso roteiro ser muito reduzido, tínhamos programado muito mais coisas. Mesmo assim, adoramos a viagem, e pretendemos voltar e explorar mais.

Confira a primeira parte da nossa viagem.

Dos itens 1 ao 6 você consegue fazer no mesmo dia, a pé e é um passeio muito gostoso. Fizemos isso saindo a partir no nosso hotel que ficava há 5 minutos a pé do primeiro ponto:

1 – Cathedral de Notre-Damme
Tem que ser visitada, obrigatório! Ela é lindíssima, uma construção do inicio da colonização do canada pelos Franceses, Escoceses e Irlandeses. A arquitetura conta um pouco de cada povo, e de como sua cultura foi inserida, misturada e se tornou a cultura canadense. Tivemos a sorte de assistir o finalzinho da missa, que foi linda, com um coral maravilhoso acompanhado pelo órgão, foi de arrepiar. Ainda um padre, com super boa vontade nos abordou do lado do altar principal e nos contou todos os detalhes dele.

2 – Neapan Point
A estátua de Samuel Champlain, um explorador de 1613, fica bem no topo de uma montanha com uma vista privilegiada do Parlamento, Rideu Canal, do rio e da ponte que liga Ontário a Quebec. Fica ao lado, ou aos fundos da National Gallery of Canada, que não visitamos desta vez, não queríamos ficar presos muito tempo em um lugar só, então deixamos os museus para uma segunda visita.

Vistas do Neapan Point

3- Rideau Canal
Com toda certeza foi o ponto que mais gostamos do passeio. Um canal construído no início dos anos 1800 para facilitar a navegação da parte de cima do rio para a parte de baixo. É uma obra de arte da arquitetura e vale a visita e contemplação. É patrimônio histórico desde 2007 e pelo Bytown Museum consegue-se conhecer um pouco mais sobre a construção do canal. Pagamos Cad$ 6 por pessoa para visitar o museu, que pequeno, mas a sede é em umas das casas originais construídas a beira do canal.
Ficamos tão encantados com o canal que voltamos lá dois dias seguidos e aproveitamos para conhecer mais sobre o local. O passeio pelo canal é super agradável e é palco para lindas fotos.

Rideau Canal, vista da parte alta e baixa

4 – Parliament Hill
Este com certeza é parada obrigatória, afinal, o que mais chama a atenção em Ottawa é o fato dela ser a capital do Canada e hospedar o parlamento.
O Parliament Hill é um conjunto de três prédios, no centro a Peace Tower, do lado direito a House of Commons e do lado esquerdo The Sennate.

Predio do Parliament Hill

5-House of Commons
A Torre da Paz é onde normalmente os encontros dos ministros e Primeiro Ministro são realizados para discutir os assuntos mais importantes do pais. Porém o prédio está fechado pelos próximos 10 anos para reformas. Mas uma estrutura toda moderna e ainda por cima conservando a estrutura original dos jardins da House of Commons foi construída para substitui-la enquanto as obras durarem.
Há visitação guidada pelo Senado e pela a House of Commons, não tem custo, porém a reserva tem que ser feita antecipadamente pelo site. Nós fomos e recomendamos, é muito interessante saber um pouco mais sobre a cultura do Canada e estrutura do Governo durante o Tour Guiado.

Sala principal da House of Commons

6-ByWard Market
Este e o bairro mais animado e o mais boêmio de Ottawa. Além do mercado que dá o nome ao bairro, nele encontra-se muitos bares, restaurantes, lounges..enfim .. diversão para todo o gosto.
Lá também se encontra um dos letreiros famosos de Ottawa, e fica bem em frente as torres do Parlamento.
Andamos muito por estas ruas, nosso hotel ficava neste bairro, e isso facilitou muito o nosso acesso. Almoçamos e jantamos por lá, conhecemos alguns restaurantes dos quais indicamos para vocês mais abaixo neste mesmo post.

Letreiro no ByWard Market

7-Gatineau
Gatineau, é uma cidade que já faz parte da Província de Quebec, mas é só atravessar a ponte ao lado do Parlamento Canadense de Ottawa que você acessa a cidade. São coladas uma na outra, e vale a pena ir visitar esta cidade, praças, parques, museus, shopping, enfim.. para quem tem mais tempo em Ottawa (e menos chuva), vale super a pena colocar no roteiro. Nos tivemos uma parte da tarde por lá, andamos de carro e fomos ao Shopping e Costco.

Veja aqui a segunda parte, aproveita e se inscreve no Canal 🙂

E tem muito mais:

Onde comer:
Que fique bem claro que estas são nossas dicas baseados em nossa experiências e preferencias pessoais. Vocês encontrarão muitas opções de restaurantes, dinners, bares, pubs.. enfim.. de tudo! Vale a pena explorar a parte gastronomica.
Nós experimentamos e recomendamos:

  1. The Grand – Uma pizzaria tão boa, que nos fez matar a saudade da pizza do Brasil. Ambiente muito gostoso, otimo atendimento e bem em frente ao ByWard Market.
  2. The King Eddie Burguer, uma hamburgueria no estilo americano, dos anos 80, eu poderia dizer. Um ambiente super bacana, comida nota 10! Milkshake então, nossa!!!
  3. Le 3 Brasseurs – Uma cervejaria canadense, com uma variedade bem grande de varias cervejas, são realmente boas. Mas a comida lá também tem que ser elogiada, um dos melhores Poutines que já comemos. Esta cervejaria também tem em Montreal e Toronto.
  4. Zac´s Cantina, uma cantina mexicana, que tem nada mais, nada menos que um onibus dentro e dentro dele há várias mesas e uma decoração super mexicana que faz valer a pena a visita. Elogios para a comida também, tacos e burritos vegetarianos deliciosos e um Milkshake de tirar o chapéu.
Praticamente uma visita gastronômica

Este foi nosso passeio por Ottawa. Recomendo que vocês conheçam um dos museus que a cidade oferece. Ficou na nossa lista, para uma próxima visita, em breve, e com certeza conto tudo para vocês por aqui.

Ate Mais !